Blog

Qual a relação entre a arquitetura e o mercado imobiliário brasileiro?

Na hora de negociar um imóvel, é preciso entender todas as características que o compõem, sejam elas estéticas, estruturais ou funcionais — afinal de contas, a pessoa interessada poderá decidir pela compra justamente devido a uma ou mais delas. É esse conjunto de importantes itens que compõe a arquitetura, área diretamente relacionada ao mercado mobiliário.

Aliás, existem compradores que pesquisam os seus imóveis priorizando a arquitetura. Por isso, quem atua no mercado imobiliário deve entender um pouco sobre as influências que formam a arquitetura brasileira e algumas de suas principais características a fim de poder auxiliar e argumentar no momento da venda de um imóvel.

Pensando nisso, decidimos publicar este artigo fazendo um apanhando geral sobre o tema. Vamos entender mais sobre esse assunto?

Arquitetura e mercado imobiliário brasileiro: a soma de várias culturas

A arquitetura brasileira se mistura com a própria história do país. Como sabemos, o Brasil é uma nação multicultural e esse traço influenciou diversos setores do país. Quando olhamos com atenção os bairros de uma grande cidade, como São Luís, São Paulo, Curitiba ou Rio de Janeiro, notamos essa pluralidade cultural na arquitetura.

Existem bairros históricos, cuja arquitetura remonta ao período colonial ou têm traços indígenas e de nações africanas, presentes no uso de materiais como barro e palha. Há também os bairros de imigrantes, em que as casas se assemelham às dos países de origem dessas pessoas, além das diversas influências culturais, como o modernismo nascido na Europa, presente em diversas obras de arquitetura brasileiras.

Com o passar dos anos, todas essas características foram somadas, criando uma arquitetura genuinamente nacional. Mesmo nas casas mais humildes, que nem sempre tiveram a supervisão de um arquiteto, há traços da arquitetura brasileira, pois ela é a referência que as pessoas têm na hora de construir.

Uma arquitetura que não parou no tempo

Fizemos uma breve recuperação do passado com o único objetivo de mostrar como a arquitetura é rica e cheia de personalidade, podendo variar muito de acordo com a região do país em que a pessoa está.

Por outro lado, engana-se quem pensa que a arquitetura brasileira é algo estático. Arquitetura e mercado imobiliário brasileiro são duas coisas que não deixaram de evoluir conforme a tecnologia e as tendências mundiais evoluíam. Isso ocorre porque a arquitetura não tem como única missão ser bela e carregar valores culturais, mas também ser funcional — e é justamente por isso que ela interfere no valor do imóvel.

As muitas funções da arquitetura

Quem atua no mercado imobiliário precisa entender que a arquitetura é um processo que contribui para a solução dos problemas do morador de um imóvel. Quando uma pessoa faz uma visita a uma propriedade, ela espera que aquele local consiga atender às suas diversas necessidades.

Se a pessoa interessada na compra de um imóvel achar o local pequeno, com má aparência ou inadequado para os seus objetivos, como de o criar os filhos, ela pode não fechar a compra — independentemente do preço da propriedade.

Sendo assim, arquitetura e decoração são questões que devem servir para aumentar o repertório de vendas de um corretor. Atualmente, elas se dispõem a resolver problemas que nem eram imaginados há algumas décadas, como solucionar o impacto ambiental da moradia, utilizando de forma consciente recursos como a água e a eletricidade.

Como vimos, arquitetura e mercado imobiliário são parte do mesmo universo. Sendo assim, os profissionais imobiliários devem entender como as características de decoração e arquitetura podem ser usadas na hora de argumentar com o cliente, aumentando as chances de vender um imóvel.

Fonte: inGaia