Blog

Campeões de venda contam como os meios digitais os ajudaram a vender imóveis durante a pandemia

Sucesso de 2020 deve se repetir para profissionais que se adaptaram para vender imóveis através dos meios digitais. Expectativas para 2021 são as melhores

As vendas de imóveis residenciais novos no país totalizaram 189.857 unidades em 2020, avanço de 9,8% em comparação com 2019, de acordo com levantamento divulgado em fevereiro pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). No quarto trimestre do ano passado as vendas chegaram a 57.968 unidades, alta de 6,7% ante o mesmo intervalo de 2019, e recorde desde o início da pesquisa, em 2016. E para que essas vendas aconteçam uma figura essencial é a do corretor de imóveis. Segundo o Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Goiás (Creci-GO), existem 20 mil corretores ativos no Estado.

Os corretores de imóveis são figuras importantes no setor do mercado imobiliário e, consequentemente, para a economia como um todo. Para manter o ritmo de vendas, eles precisaram se adaptar à pandemia. Um dos profissionais que se adaptou e conseguiu destaque nos resultados foi a Ivany Moreira de Lima, que atua na área há nove anos e a seis é parceira da URBS Imobiliária. “Eu era corretora à moda antiga, gostava só do olho no olho, mas tive de aprender a usar a tecnologia para as vendas. A imobiliária me ajudou disponibilizando várias ferramentas para o contato com o cliente e eu fiz vendas pelo whatsapp”, destaca a corretora que pretende continuar antenada.

Ao mesmo tempo, ela buscou alternativas para captar clientes no mundo offline também.  “Foi complicado, quando o stand fechou busquei outros meios. Por um tempo até montei uma tenda própria perto de um dos empreendimentos que estava vendendo”, relembra. Com toda essa determinação, Ivany foi a campeã de vendas da URBS em 2020, foram cerca de 24 imóveis vendidos pela corretora. “Trabalho com tudo, lançamento, revenda, áreas. Ano passado foi muito bom profissionalmente, trabalhei com imóveis de alto padrão”.

A corretora revela um lema que carrega. “Eu tomei todos os cuidados para evitar a contaminação pela Covid-19 e internalizei um mantra que aprendi com dos meus diretores: ‘Quanto mais trabalho, mais sorte tenho’. E é assim mesmo, quanto mais trabalho, mais tenho saúde e disposição”, afirma. Para os corretores que querem se tornar um destaque como ela, Ivany dá algumas dicas. “Tem que fazer treinamentos, esquecer vaidades, saber que o trabalho é o que produz e saber qual vocação possui, se é para vender lotes, apartamentos ou outra coisa. Não recomendo ficar pulando de uma imobiliária para outra. E se não tiver disciplina e foco, não vai vender”, ressalta.

Ela ainda destaca a importância de ouvir o cliente, fazer o pós-venda, com afinco e criar vínculo de relacionamentos profissionais com os clientes. Quanto às expectativas para 2021? São as melhores. “Ano passado o mercado imobiliário foi fortalecido pelas instabilidades das aplicações, pois os imóveis são seguros. E neste ano será melhor para os corretores que estiverem antenados, pois teremos uma safra recorde e o setor agropecuário busca investir em imóveis”, salienta Ivany Moreira, que possui vários clientes do ramo.

90% de contatos virtuais

Outro exemplo de corretor que viu no mercado imobiliário seu sucesso profissional acontecer em 2020 é Neto Rocha. Ele trabalhava com o mercado financeiro e no final de 2019 aceitou o convite de um amigo e começou a trabalhar como corretor de imóveis. “Eu optei por esse ramo, pois achei que poderia dar um rendimento parecido com o que tinha e hoje já estou ganhando mais”, relata ele, que se tornou parceiro da URBS Imobiliária e ficou em segundo lugar nas vendas de 2020. “Eu me encontrei, achei a profissão que queria”, salienta ele, que diz ter vendido cerca de 16 unidades no último ano.

Com a pandemia, Neto Rocha seguiu a dica de sua gestora e investiu nas redes sociais para vender, as quais não usava antes. “90% dos contatos que fiz em 2020 foram virtuais, apenas 10% foram através de plantões”, conta sobre os clientes. “O processo de venda virtual que a URBS proporciona é bom também, eu já fiz venda 100% digital, do contato inicial à assinatura do contrato”, relata ele, que desde julho optou por segmentar e vender apenas imóveis de alto padrão, dentre lançamentos e revendas. “A pandemia inicialmente trouxe desconfiança, mas depois as pessoas viram que o imóvel é o mais seguro para investir”, conta.

Neto analisa a escolha de uma área específica de atuação como um dos pontos que o ajudaram a ter sucesso em 2020. “Escolher um nicho de mercado foi muito bom e a empresa me deu treinamento e todo suporte para isso”, salienta ele, que acredita no crescimento das vendas para esse ano.