Blog

Novas Dicas Sobre O Financiamento Imobiliário

Quem tem o sonho da casa própria sabe o quanto é difícil ter o financiamento imobiliário aprovado, mesmo com toda a papelada em mãos, é possível não ter o crédito liberado. Nessas horas é bom contar com a assessoria de uma empresa especializada.

Para financiar um imóveis não basta ter um salário compatível com o valor do imóvel que se quer comprar. Além de comprovar a renda, os bancos e financeiras usam outros critérios para decidir se o financiamento será aprovado ou não.

Separamos algumas dicas para ajuda-los na busca pelo financiamento imobiliário

Compare as condições oferecidas por vários bancos

Como os contratos de financiamento imobiliário envolvem muitos documentos e costumam tomar bastante tempo das agências, os bancos preferem credenciar empresas especializadas na área para fazer a coleta da papelada dos clientes e reduzir o custo da operação. O Melhor Taxa possui uma equipe de economistas e engenheiros especialistas no mercado imobiliário, capazes de tirar todas as suas dúvidas. Independentemente da etapa em que você está, seja no começo da busca por um financiamento ou aguardando a aprovação do banco.

A Caixa nem sempre é a melhor opção

Ao contrário do que diz a crendice popular, o crédito imobiliário da Caixa pode não ser o mais barato. Embora os juros cobrados pela Caixa sejam os menores do mercado, outros fatores afetam o custo do financiamento, como o seguro contra danos físicos e contra morte ou invalidez permanente do mutuário, ambos obrigatórios. Muitas vezes, os seguros da Caixa custam mais caro que em outros bancos. Hoje, os principais bancos privados podem oferecer condições mais atraentes. Até o Banco do Brasil, que ficava fora desse ramo, entrou na disputa. Como acontece com outras modalidades de crédito, não é preciso ser cliente de um banco para financiar a compra de seu imóvel com ele.

É possível incluir impostos e taxas no crédito

Quase ninguém se dá conta de que, além do pagamento da entrada, ainda terá de pagar um valor considerável, cerca de 3% do valor do imóvel, em impostos, taxas e despesas contratuais, além da taxa de vistoria, que varia de R$ 250 a R$ 1.500, e dos custos contratuais cobrados pelos bancos. É fundamental prever esses gastos, para não ser surpreendido depois. Quem não for contratar o valor máximo de financiamento para sua renda mensal, e não quiser pagar as despesas extraordinárias à vista, poderá incluí-las no financiamento na maioria dos bancos.

 

Fonte: Publicidade Imobiliária