Blog

Forros e Acabamentos Decorativos Coloniais

O forro colonial foi utilizado nas casas mais sofisticadas entre o século dezenove e os anos trinta do século vinte. Esse acabamento é formado por dois tipos de tábuas (lambris) paralelas: uma em alto relevo e outra rebaixada. No jargão arquitetônico esse conjunto se chama saia-e-blusa, que são encaixados um no outro. A seguir ajudamos a decidir qual o melhor dos forros coloniais para a sua casa.

Características dos Forros Coloniais

sala forro colonialForros coloniais escondem, de uma maneira bastante clássico, lajes indesejadas, imperfeições no teto, além de fios e instalações. No entanto pode ser adotado em projetos tanto tradicionais quanto contemporâneos.

Eles podem ser feitos de madeira ou gesso. A madeira, é claro, é a opção mais autêntica. Mas a de gesso tem sido mais utilizada atualmente. De qualquer forma, todos são materiais que levam a praticamente o mesmo efeito.

As réguas são fixadas nos caibros do teto ou telhado pelo lado interno do imóvel. A instalação é rápida e prática, a partir de diferentes tipos de encaixe.

O efeito sofistica qualquer ambiente.

Vantagens de Cada Material

O forro de madeira é o mais tradicional. Ele é fixado nas estruturas do telhado com pregos ou parafusos.

O encaixe pode ser saia-e-blusa, onde a tábua superior (saia) é mais larga e se prende a uma tábua mais estreita (blusa), que fica rebaixada. Ou macho-e-fêmea, com as duas réguas de mesma largura.

As madeiras mais utilizadas são de pinus e pinho. Elas são mais econômicas, mas mais sujeita a se deteriorarem por conta de cupins ou umidade. Uma camada de verniz ou stainsão muito recomendadas neste caso.

Madeiras de lei como mogno, jacarandá, ipê e pau-marfim são mais caras mas mais resistentes.

Você pode optar por um acabamento em verniz, stain ou tinta, que devem ser aplicados nas tábuas antes da colocação. A aplicação deve ser repetida a cada dois anos.

Você também pode pintar as peças de duas diferentes cores, fazendo um listrado mais destacado. Se quiser aumentar a impressão de profundidade, escolha tons mais escuros para as tábuas rebaixadas.

No entanto atualmente o forro de gesso é o mais utilizado. Ele é mais leve e mais flexível em sua utilidade. Afinal permite muito mais variedade em projetos de iluminação, favorecendo tanto lustres comuns em pontos estratégicos quanto spots distribuídos.

Não necessita de cuidados especiais.

Formas de Colocação e Acabamento das Tábuas de Forros Coloniais

O projeto pode prever uma colocação que começa numa parede e se eleva em direção ao teto, conforme imagem anterior. É ideal para decoração mais tradicional.

Existe, também, a instalação reta, completamente horizontal de uma parede a outra. Confere um visual mais discreto, leve e moderno.

Uma maneira que confere mais glamour à opção reta mas não é tão rebuscada quanto a anterior é a instalarão de molduras para o teto. Quanto mais fina, mais discreta.

Também é perfeitamente possível realizar cortineiros, principalmente no caso do forro de gesso.

Fonte: Faz Fácil reforma e Construção